Conheça a história do estudante de Economia nativo de São Tomé e Príncipe


05 de fevereiro de 2012

Por: Débora Moreno
São Tomé e Príncipe é um estado insular composto por duas ilhas principais na costa ocidental da África e com cerca de 160 mil habitantes. Foi na cidade de São Tomé que nasceu Iuri Denilson Fernandes Gomes Viana, estudante de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro.
 
Iuri participou, em seu país de origem, de um processo seletivo para conseguir uma vaga em uma universidade brasileira. A oportunidade apareceu pelo fato de o Brasil possuir relações bilaterais com São Tomé e Príncipe. Há um convênio entre as duas nações no qual vagas de cursos superiores são oferecidas aos estudantes que possuem notas altas durante todo o ensino médio. Na sua candidatura às vagas, o estudante escolheu não uma faculdade específica, e sim a cidade do Rio de Janeiro, mas com preferência pela UFRJ. E acabou passando para a sua primeira opção.
 
Quando chegou ao Brasil, em 2005, o são-tomense não veio para estudar Economia, mas sim Química Industrial: “não consegui me achar na Química, fiz um teste de aptidão e decidi fazer Economia”, revela o aluno, que está feliz com a sua opção agora.
 
Iuri diz que, mesmo os dois países tendo como língua oficial o Português, as pessoas daqui encontravam dificuldade em entender o seu sotaque no começo. E enxerga muitas semelhanças entre as duas nações, como o clima, a língua, o povo, e ainda se mostra um fã das novelas brasileiras, das quais destaca “Pedra sobre Pedra”. Na cidade do Rio de Janeiro, ele destaca como ponto positivo o fato de conhecer uma pessoa nova a cada dia, de fazer amizade e como ponto negativo a violência.
Água-Grande - Cidade de São Tomé
Quando terminar o curso superior, Iuri Viana pretende voltar a São Tomé e, segundo ele, ficaria no Brasil se aparecesse uma oportunidade de trabalho. Voltando a São Tomé e Príncipe, o estudante do sexto período pretende ajudar o seu país: “ano que vem eu vou me formar e estou pensando em fazer monografia em algum tema sobre o meu país. Estou querendo focar na importância do turismo, sobre o impacto do turismo. Uma vez voltando, eu estou aberto para ajudar”, diz o estudante.
 
Para Iuri, A Universidade Federal do Rio de Janeiro representa oportunidade: “muitos tem aquela vontade de fazer a UFRJ por ser uma das melhores. Ser formado aqui faz você sair na frente de outras pessoas. É uma experiência única conhecer pessoas que, provavelmente, depois da faculdade eu não vou ver mais. São coisas que eu vou carregar para o resto da minha vida.”
 
O Brasil era um dos países que o são-tomense tinha vontade de conhecer e, além do Rio de Janeiro, pretende visitar outros lugares brasileiros como Salvador, Ceará, Florianópolis e João Pessoa. Ele também deseja conhecer outros países, dos quais já foi a Portugal. “Uma das minhas paixões é viajar pelo mundo”, explica Iuri.

ouvidoria          conhecendo ufrj                 link acessoInformacao        pequim              portal transparencia                

Av. Pedro Calmon, 550, Edifício da Reitoria, 8º andar, sala 833 - Cidade Universitária, Campus do Fundão - Cep: 21941-901A

UFRJ PR4 - Pró-Reitoria de Pessoal
Desenvolvido por: TIC/UFRJ